I Wish (Quero Tê-La)

I wish
(English Version)

Oh! I wish it so much…
I wish to have you in my arms
To feel your heat,
To touch your face
And kiss your lips.

Oh… I wish it so much…
To place your head on my lap
To make you sleep like an angel that you are
While I pass my fingers through your hair.

Oh! I wish it so much!
To pass my hand over your soft skin,
To pull your hips against mine
And feel your heat beat
So close to mine.

I wish so much
To have my fingers tangled in your hair,
Your lips against mine,
Your body against mine,
Your eyes on mine,
Your mind on mine…
For a moment,
We could be one…

But that’s not possible…
You are so distant from me,
Like long forgotten names
Of the ones I loved before.

Love without hesitation,
Where I left myself, driven away on emotions,
Of the thought,
The sensation, of being loved as well.

My heart was despised,
Rejected, fragmented…
Everything that happened passes through my thoughts
Your face: “All I have left is to suffer…” I whisper
Your lips: “I can’t forget it!” – I scream.
Your eyes…

Oh! Your eyes…
Your burning, piercing look
That transposes my soul,
And rip my flesh,
And kill my thoughts.

Then, everything is revealed to me:
My soul bleeds!
It bleeds tears of
Desire, passion and truth:

I can’t speak,
I can’t walk…
All I can do is to admire you,
Because everything else disappears,
And we are alone in the wilderness of my thoughts.

But I’m still lonely:
You don’t notice me,
You don’t speak.
Look at me!

When everything is over
I’ll vanish from your life,
But you will stay on mine:
A terrible scar on me
That I’ll hide from everyone.

Oh, I wish it so much…
That I could be able to have you,
Just to make you happy,
And simply love you.

Motto Sadamotto – 2004


Quero Tê-la
(Portuguese Version)

Ah! Como eu queria…
Tê-la em meus braços,
Sentir teu calor,
Tocar-te a face,
Beijar-te a boca.

Ah… Como eu queria…
Deitar-te em meu colo,
E fazer-te dormir,
Dormir o sono dos anjos
Em quanto passo meus dedos em teu cabelo.

Ah! Como eu queria!
Passar as mãos sobre tua pele macia,
Puxar teus quadris conta os meus
E sentir teu coração bater
Assim tão junto a mim.

Como eu queria…
Ter teus cabelos entre meus dedos,
Tua boca junto a minha,
Teu corpo junto ao meu,
Teu olho no meu,
Tua mente na minha…

E por um momento,
Seriamos um só:
Um só corpo,
Um só pensamento,
Um só desejo,
Um só mundo.

Mas isso não é possível,
Pois estás distante de mim,
Como nomes há muito esquecidos
De outras que amei.

Que amei sem hesitar,
E me deixei levar pela emoção,
Da sensação de ser amado
Mas, meu coração
Foi desprezado,
Rejeitado, desfragmentado.

Tudo me vem à cabeça:
Tua face: ”Tudo que me fez sofrer” – eu sussurro;
Teus lábios: “Não consigo esquecer” – eu grito;
Teus olhos…

Sim, teus olhos
Ardentes e penetrantes,
Que transpõem minh’alma,
Que me cortam e me matam,

Então tudo se revela:
Minh’alma sangra!
Sangra lágrimas de
Desejo, paixão e verdade.

Não consigo falar,
Não consigo andar,
Só consigo admirar-te,
E tudo ao redor some,
Só ficamos nós dois,
Na imensidão de meus pensamentos.

Mas continuo só:
Tu não me encaras,
Tu não me reparas,
Tu não falas.

Quando tudo acabar,
Simplesmente sumirei de tua vida
Mas, tu restarás na minha,
Como uma cicatriz
Que esconderei de tudo e de todos,
Pois ficarei contigo em meu peito.

Ah, como eu queria…
Como eu queria tê-la,
Para fazer-te feliz
E simplesmente amá-la.

Motto Sadamotto – 2004